Oficinão “…para.preencher.vazios(?)…”

Preparamos os nossos atores desde o momento em que eles decidem que querem fazer parte do Brinquedo Torto e como tudo na vida, temos fases. A primeira fase dessa jornada é o Oficinão.

O criador do projeto Varlei Xavier contou tudo pra gente:

 

“O Oficinão é uma forma que encontramos para começar o ano de forma diferente. Em vez simplesmente termos uma “aula experimental” ou reunir os grupos, optamos por criar uma narrativa que ofereça aos alunos um impulso inicial, uma dose de inspiração.
“A ideia começou com a criação de uma “Oficina-Teste” no ano de 2014. No ano anterior, percebemos que os alunos que já estavam no grupo, chegavam para um novo ano com a sensação e a postura de que já conheciam aquilo que aconteceria. Por isso, decidimos que todos passariam por um “processo seletivo”, que demonstrasse aqueles que estavam dispostos aos desafios do ano. Este formato aconteceu nos anos de 2014 e 2015. Embora desse bastante resultado, percebemos que ao longo do tempo, este processo era desafiador demais para alguns alunos, que realmente se sentiam “testados”, o que não era nosso foco. Buscávamos apenas pessoas que demonstrassem disposição para os desafios e não atores prontos ou bem treinados.
Em 2016, mudamos o formato desses encontros, aumentando o tempo de experiência de três para seis aulas e inserimos uma estrutura narrativa, que mantinha os alunos interessados pela proposta, ao mesmo tempo que vivenciam as atividades teatrais e finalmente passamos a chamá-lo de Oficinão. A narrativa do primeiro ano se chamava “O resgate dos sonhos roubados”, discutia os sonhos individuais, a cultura brasileira através da capoeira e questões e preconceitos raciais, com foco na mulher negra. Em 2017 mergulhamos no Youtube com o tema “Taca-lhe play”, que versava sobre o impacto do Youtube na vida dos adolescentes e de como esta relação de amor e ódio com os criadores de conteúdo e influencer se assemelhava a uma idolatria quase religiosa.
Para este ano, optamos por um resgate da simplicidade, da poesia e da subjetividade, com o tema …para.preencher.vazios(?)… A experiência tem sido potente, transformadora e muito tocante. É muito bonito ver a interação entre adolescentes de todas as idades, com experiências distintas na prática teatral. Tanto aqueles que já estão há anos fazendo teatro, quanto aqueles que estão na primeira experiência, tem se mostrado muito receptivos e dispostos.”

Curtiu?
Então fique atento, porque ainda essa semana traremos depoimentos do elenco e da equipe sobre essa experiência.